post

Pastorais da Juventude lançam cartaz da Semana do Estudante 2017

Publicado em 30 de junho de 2017 Por  Seja o primeiro a comentar!

Foi lançado na terça-feira (13) a arte que ilustrará a Semana do/a Estudante 2017.

De autoria do artista plástico Aurélio Fred, o cartaz representa a iluminação gráfica da Semana, que será comemorada em agosto.

A atividade, planejada e desenvolvida pelas quatro Pastorais de Juventude (PJ, PJE, PJMP e PJR), acontece anualmente durante o mês de agosto, na semana que envolve o dia 11, considerado historicamente como o Dia do/a Estudante no Brasil.

Segundo o artista, o desenho expressa a principal motivação desta Semana: os debates nos quais os grupos serão envolvidos para discutir e se conscientizar a respeito do projeto “Escola sem partido”.

“De um lado, em que não há mordaça, é o lado do movimento, da cor, da alegria; e o lado que tem mordaça não há nada, representando algo frio. É uma informação bem direta com o que se pretende com esse projeto”, declarou Aurélio.

Nesta edição, a SdE – Semana do Estudante ocorrerá entre os dias 05 e 12 de agosto, e tem como tema “ESCOLA DEMOCRÁTICA: SEM LADO NÃO DÁ” e como lema, a iluminação bíblica do livro de Mateus (5, 10a): “BEM AVENTURADOS OS QUE SOFREM PERSEGUIÇÃO POR CAUSA DA JUSTIÇA”.

Todos os anos, as Pastorais elaboram um subsídio de estudos sobre a temática da SdE. O material deste ano – que abordará os temas “Gestão participativa”, “Ocupações das escolas” e “Modelo educacional brasileiro” – será lançado no próximo mês, nos sites e redes sociais das Pastorais.

|| BAIXE AQUI o cartaz em alta resolução.

Por Pastoral da Juventude Estudantil 

http://jovensconectados.org.br/pastorais-da-juventude-lancam-cartaz-da-semana-do-estudante-2017.html

post

Congresso Mundial SIGNIS – a mensagem do Papa Francisco

Logo SIGNIS

19/06/2017 09:58
Cidade do Vaticano (RV) – “Continuar a buscar todos os meios tecnológicos e sociais para cooperar na missão universal da Igreja de proclamar o Evangelho da paz”: este é o incentivo do Papa Francisco a todos os profissionais da mídia católica, reunidos de 19 a 22 de junho na Cidade de Québec, Canadá, por ocasião do Congresso Mundial da SIGNIS, Associação Católica Internacional para a comunicação.

Tornar a esperança acessível a todos

Na mensagem enviada a Mons. Dario Edoardo Viganò, Prefeito da Secretaria para a Comunicação e assinada pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin, o Pontífice faz votos de que o Congresso possa inspirar “uma esperança, acessível a todos, precisamente no lugar onde a vida conhece a amargura do fracasso”. Enfim, o Papa concede sua bênção a todos os participantes no evento.

Jornalistas, testemunhas da esperança

Ao Congresso chegou também a saudação do Cardeal Gérald Cyprien Lacroix, Arcebispo de Quebec, que evidencia “como esta conferência permita aos operadores da mídia valorizar a sua preciosa contribuição ao dar testemunho da esperança” do homem. “Vocês são mensageiros válidos – escreve o purpurado aos comunicadores – dos frutos que produz a Palavra de Deus”. Então o convite a “prosseguirem, com alegria e esperança, a missão dos meios de comunicação no mundo”.

Sessão dedicada à reforma da mídia do Vaticano

Centrada no tema “Mídia para uma Cultura da Paz: promover histórias de esperança”, o Congresso será aberto com um painel de discussão em que quatro representantes de organizações católicas explicarão como contar histórias de esperança; em seguida, serão os representantes do mundo audiovisual a narrar como “encontrar Deus em todas as coisas e filmá-lo”. Uma sessão específica na tarde desta segunda-feira, 19 de junho, será dedicada a aprofundar a reforma da comunicação do Vaticano.

Os jovens, a fé as redes sociais

Central, também, a reflexão sobre o envolvimento religioso e espiritual dos jovens que compartilham a sua fé nas redes sociais. Na agenda ainda a análise da relação entre música e esperança, e  como não se desesperar nas situações de crise. Serão apresentadas, em seguida, experiências de colaboração no campo da comunicação para enfrentar campanhas de sensibilização.

Um prêmio ao cineasta Martin Scorsese
Entre as muitas oficinas programadas, algumas dedicadas ao diálogo inter-religioso, ao meio ambiente, à busca da verdade no contexto das chamadas “fake news” (notícias falsas), e ao retorno do religioso ao cinema. Neste sentido, os participantes do Congresso assistirão à exibição do filme “Silêncio”, que conta a história de três padres jesuítas perseguidos por causa de sua fé, no século XVII, no Japão. O filme é dirigido pelo cineasta Martin Scorsese, a quem quarta-feira, 21 de junho, será atribuído o “Prêmio SIGNIS pela excelência de produção cinematográfica”. (SP)

 

http://br.radiovaticana.va/news/2017/06/19/congresso_mundial_signis_-_a_mensagem_do_papa_francisco/1319889

post

Primeiro Dia Mundial dos Pobres: caridade e solidariedade

Vaticano \ Eventos

Logo Dia Mundial dos Pobres – RV

13/06/2017 08:54
Cidade do Vaticano (RV) – Foi publicada, na manhã desta terça-feira (13/6), no Vaticano, a Mensagem do Papa para o Primeiro Dia Mundial dos Pobres, que tem como tema: «Não amemos com palavras, mas com obras».

O Dia Mundial dos Pobres foi instituído por Francisco, na conclusão do Ano Santo extraordinário da Misericórdia, com uma Carta Apostólica intitulada “Misericórdia e mísera”. A celebração, sinal concreto” do Ano Jubilar, se realizará no XXXIII Domingo do Tempo Comum, que este ano cai em 19 de novembro.

O Papa inicia sua Mensagem, com a citação evangélica do tema central: «Meus filhinhos, não amemos com palavras nem com a boca, mas com obras e com verdade».

Estas palavras do apóstolo São João – diz Francisco – são um imperativo do qual nenhum cristão pode prescindir. A importância do mandamento de Jesus, transmitido pelo “discípulo amado” até aos nossos dias, tem pleno sentido diante das palavras vazias que saem da nossa boca.

O amor não admite álibis: quem pretende amar como Jesus amou, deve assumir o seu exemplo, sobretudo quando somos chamados a amar os pobres. Aliás, é bem conhecida a forma de amar do Filho de Deus: “Ele nos amou primeiro, a ponto de dar a sua vida por nós”.

Deste modo, a misericórdia, que brota do coração da Trindade, se concretiza e gera compaixão e obras de misericórdia pelos irmãos e irmãs mais necessitados.

Neste sentido, o Santo Padre fez diversas referências da vida de Jesus, que ecoou, desde o início, na primeira Comunidade eclesial, que assumiu a assistência e o serviço aos pobres, com base no ensinamento do Mestre, que proclamou os pobres “bem-aventurados e herdeiros do Reino dos Céus”.

Contudo, aconteceu que alguns cristãos não deram a devida atenção a este apelo, deixando-se contagiar pela mentalidade mundana. Mas, o Espírito Santo soprou sobre muitos homens e mulheres que, de várias formas, dedicaram toda a sua vida ao serviço dos pobres.

O Papa recordou que, nestes Dois mil anos, numerosas páginas da história foram escritas por cristãos que, com simplicidade e humildade, se colocaram a serviço dos seus irmãos mais pobres.

Aqui, citou alguns nomes que mais se destacaram na caridade, como São Francisco de Assis, testemunha viva de uma pobreza genuína.

O Santo Padre lembra que, para os cristãos, discípulos de Cristo, a pobreza é, antes de tudo, uma vocação; é seguir Jesus pobre; é o metro para avaliar o uso correto dos bens materiais.

O nosso mundo, muitas vezes, não consegue identificar a pobreza dos nosso dias, com suas trágicas consequências: sofrimento, marginalização, opressão, violência, torturas, prisão, guerra, privação da liberdade e da dignidade, ignorância, analfabetismo, enfermidades, desemprego, tráfico de pessoas, escravidão, exílio e miséria. A pobreza é fruto da injustiça social, da miséria moral, da avidez de poucos e da indiferença generalizada!

Diante deste cenário, não se pode permanecer inertes e resignados, afirmou Francisco. Todos estes pobres – como dizia o Beato Paulo VI – pertencem à Igreja por “direito evangélico” e a obriga à sua opção fundamental.

Por isso, o Papa conclui sua Mensagem para o Dia Mundial dos Pobres convidando toda a Igreja a fixar seu olhar, neste dia, a todos os estendem suas mãos invocando ajuda e solidariedade.

Que este Dia sirva de estímulo para reagir à cultura do descarte, do desperdício e da exclusão e a assumir a cultura do encontro, com gestos concretos de oração e de caridade, para uma maior evangelização no mundo. Os pobres – diz por fim Francisco – não são um problema, mas “um recurso para acolher e viver a essência do Evangelho”. (MT)

post

Uma bate papo sobre Criatividade Católica

Num mundo onde o “mais do mesmo” tem tomado conta, principalmente no que diz respeito a comunicação, precisamos nos questionar: ainda há algo de novo? Tem como ser criativo e sair do convencional?

Na evangelização: tem como criar sem sair daquilo que é a essência do Evangelho?

Inventar demais é perigoso, mas o Espírito Santo é Aquele que age de forma criativa e nos torna ousados, principalmente na evangelização. Falando nisso, no dia 15 de Julho (meu aniversário uhuuuu) vai rolar um Workshop sobre Criatividade Católica e eu conversei com o organizador, o Dieimerson Vieira, da Agência Rise, sobre esse assunto. Veja só:

Robson Landim: Tem como ser criativo em algo tão antigo como a Igreja?

Dieimerson: A Igreja é antiga mas nunca deixou de ser inovadora. Podemos citar alguns casos que mudaram nossas vidas: O alfabeto, o microscópio, a bússola, dentre outros que foram descobertos por padres ou pessoas diretamente ligadas à Igreja. O que acontece é que com a globalização, as mudanças estão cada vez mais rápidas, e a Igreja não pode perder essa essência de inovação que sempre teve.

Robson Landim: Como surgiu a ideia do Workshop?

Dieimerson: A ideia partiu de um insight meu enquanto fazia alguns estudos sobre criatividade. Eu pensei no seguinte: se existe tanto preparo no mundo corporativo e acadêmico ao redor da criatividade, porquê não preparar e formar criativos para fazer a diferença na Igreja? A partir dali comecei a estudar e conectar a Criatividade e a Igreja e descobri que elas sempre estiveram unidas, mas que agora haviam poucas pessoas tratando do tema. A partir daí fizemos a primeira edição, que foi um sucesso e agora estamos nos encaminhando para a terceira edição. O objetivo é fazer com que as pessoas redescubram o seu lado criativo. É uma experiência para todos, sem distinção de idade, movimento, etc.

Robson Landim: Qual a fonte de inspiração e criatividade dos católicos?

Dieimerson: A maior fonte de inspiração é o Espírito Santo. Enquanto o mundo acredita em coincidências, devemos acreditar que o Espirito Santo nos capacita e nos mostra aquilo que é necessário para sermos criativos. O que diferencia a Criatividade Secular da Criatividade Católica é que devemos sempre ser obedientes aos ensinamentos da Santa Igreja Católica.

Robson Landim: Porque juntar os criativos católicos numa troca de ideias?

Dieimerson: Existem algumas teses sobre criatividade, e uma muito interessante é a da conexão de pontos. Um católico criativo raramente conseguirá fazer algo efetivo sozinho, mas quando reunimos um grupo que tem objetivos em comum, grandes coisas tendem a acontecer, como já aconteceram em edições anteriores. Essa conexão de pontos, pensamentos e experiências é o diferencial (Mt 18,20).

Robson Landim: O que esperar dessa edição do Workshop?

Dieimerson: As primeiras edições foram voltadas exclusivamente a Criatividade, mas nesta edição queremos ampliar os horizontes. Assuntos como ciberteologia e PNL são novos e potencialmente transformadores. Preparamos um lugar diferente que nos tire da zona de conforto e faça com que os participantes tenham uma experiência nova em suas vidas.

Bacana demais, não é? Eu estarei lá palestrando sobre “CIBERTEOLOGIA, pensando o Cristianismo em tempos de rede”. Quer saber mais e garantir sua vaga no Workshop? Acesse o link que está logo abaixo e aproveite o desconto do primeiro lote de vendas: https://www.sympla.com.br/workshop-criatividade-catolica-30__146937

post

O que é Carisma?

Paz e Misericórdia!

Acabamos de sair da festa de Pentecostes, onde rememoramos a vinda do Espírito Santo sobre a Virgem Maria e os apóstolos reunidos no Cenáculo. A segunda leitura dessa solenidade nos diz algo que hoje podemos contemplar de forma muito prática em nossa Igreja. Veja só:

“Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum. Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo” (Cf. 1Cor 12, 4-7.12)

Sempre houve na Igreja diferentes carismas, seja nas Congregações e Famílias Religiosas ou nos Movimentos. Mas hoje a realidade é ainda maior, visto o grande número de Novas Comunidades existentes no Brasil, por exemplo. Posso citar algumas grandes: Shalom, Canção Nova, Aliança de Misericórdia. E ainda outras menores: Cristo Libertador, Missão Mensagem de Paz, Colo de Deus…

O que as diferencia? É justamente o carisma! Muitos são os carismas, mas um mesmo é o Espírito que os doa. Para entendermos um pouco mais sobre isso, trago um vídeo do #NaFonte, programa da Aliança de Misericórdia apresentado pelo padre Custódio, presidente da obra, que de forma muito simples nos explica o que é um carisma e o que faz dele tão importante. Veja só:

post

Papa Francisco às crianças: “Seus pequenos gestos podem mudar o mundo”

VATICANO, 02 Jun. 17 / 04:30 pm (ACI).- O Papa Francisco conversou com um grupo de crianças, pais e professores da experiência educacional cristã “Cavaleiros do Graal” e os encorajou a contribuir para mudar o mundo com pequenos gestos.

Papa Francisco fala para as crianças. Foto: Captura Youtube

Durante a audiência na Sala Paulo VI, o Pontífice respondeu a diversas perguntas que as crianças fizeram sobre a amizade, sobre como podem contribuir no mundo e sobre o sentido do sofrimento.

A amizade

Uma das primeiras perguntas feitas ao Papa foi sobre o medo das mudanças e suas consequências, especialmente, o medo de uma criança perder os seus amigos quando mudam de escola para universidade.

Francisco explicou que “a vida é um contínuo ‘bom-dia’ e ‘até a próxima’”. Muitas vezes um breve adeus, mas outras vezes um adeus de muitos anos ou para sempre. Se não se aprende a despedir-se bem, jamais aprenderá a encontrar novas pessoas”.

O Santo Padre deu muita importância a esta pergunta, porque se trata de “um desafio da vida”. Explicou que na mudança do colégio à universidade “teus companheiros não serão os mesmos. Talvez você os encontrará novamente e conversará com eles, mas você deve encontrar novos companheiros. É um desafio”.

“Na vida devemos nos acostumar com este caminho: deixar algumas coisas e encontrar coisas novas. Isso também é um risco”. Neste sentido, incentivou a não ter medo, a não se fechar e a crescer.

“Quando um menino, uma menina, um homem, uma mulher diz chega e se acomoda no sofá, não cresce, fecha o horizonte da vida”. E deu um exemplo. O Pontífice encorajou as crianças a olharem para uma das paredes da Sala Paulo VI. “Olhem para aquela parede. O que há atrás dela? Você não sabe? Esse é o modo como uma pessoa não pode crescer. Tem uma parede na sua frente. Não sabe o que há do outro lado”.

“Mas se você vai do lado de fora, ao campo, por exemplo, o que você vê onde não há paredes? Tudo! Você vê o horizonte. Devemos aprender a olhar a vida olhando horizontes. Sempre mais, sempre mais. Sempre em frente. Isto acontece ao conhecer pessoas novas, conhecer novas situações…”.

Isso não significa esquecer-se dos velhos amigos, “não. Sempre há uma bela lembrança. Muitas vezes nos deparamos com velhos colegas, saudamos. Mas devemos seguir sempre em frente para crescer”.

Mudar o mundo

A segunda pergunta que as crianças fizeram ao Papa foi sobre o que podem fazer para mudar o mundo. Ele respondeu que, “se já é difícil para gente grande, para as pessoas que estudaram, para as pessoas que têm a capacidade de governar os países, quanto mais difícil será para um menino ou uma menina, não é?”.

E reconheceu: “Sim, é difícil. Mas eu gostaria de perguntar-lhes: É possível? Vocês, podem mudar o mundo? Sim, mas como? Com ??as coisas que estão ao seu redor”.

O Santo Padre deu um exemplo: “Sempre quando estou com as crianças, pergunto-lhes: ‘Se você tem dois doces e um amigo se aproxima de você, o que você está faz?’. Normalmente todos respondem: ‘Eu dou um para ele e fico com o outro’. Alguns não dizem, mas pensam: ‘Guardarei os dois no bolso e os como assim que ele for embora’”.

“A primeira é uma atitude positiva – explicou –, a outra é uma atitude egoísta, negativa”. Ilustrou estas duas atitudes com o símbolo da mão: a “mão aberta simboliza a atitude positiva, a mão fechada simboliza a negativa”.

“Para mudar o mundo é necessário ter a mão aberta. A mão é um símbolo do coração. Ou seja, precisamos ter um coração aberto”.

Francisco não perdeu a oportunidade de encorajar as crianças a começar a mudar o mundo com pequenos gestos que nascem deste coração aberto. “O mundo muda abrindo o coração, ouvindo os outros, recebendo os outros, partilhando as coisas. E vocês podem fazer o mesmo”.

Em seguida, deu outro exemplo: “Se você tem um companheiro, um amigo, uma amiga, um colega de escola, uma colega de escola de quem você não gosta, que é um pouco antipático, Você vai fofocar sobre aquela pessoa? Isso é ter o coração fechado, a mão fechada. Se, ao contrário, você releva ‘não gosto, mas não digo nada’. Isso é ter um coração aberto, a mão aberta”.

“É um gesto pequeno, mas podemos mudar o mundo com as pequenas coisas de todos os dias, com a generosidade, com a partilha, criando essas atitudes de irmandade. Se alguém me insulta e eu o insulto, isso é ter um coração fechado. Em vez disso, se alguém me insulta e eu não respondo, isso é ter um coração aberto”. E pediu: “Jamais respondam ao mal com o mal”.

O sentido do sofrimento

A última pergunta que as crianças fizeram ao Pontífice foi sobre o sentido da dor e do sofrimento: “Como podemos entender que o Senhor nos ama quando tira as pessoas ou coisas que nunca gostaria de perder?”.

Depois de meditar a resposta durante alguns segundos, o Santo Padre completou a pergunta tornando-a um pouco mais concreta: “Vamos pensar um pouco, todos juntos, imaginemos um hospital infantil. Como você pode pensar que Deus ama essas crianças e permite que estejam doentes, ou muitas vezes morram?”.

“Pensem nesta pergunta: Por que as crianças sofrem? Por que há crianças no mundo que sofrem de fome, enquanto em outros lugares do mundo desperdiçam? Por quê?”. “Há perguntas que não podem ser respondidas com palavras. Não tenho palavras para explicá-lo”, reconheceu.

“Com frequência você encontrará qualquer explicação, mas não sobre o porquê, e sim do para quê. Quando faço esta pergunta ao Senhor na oração, por que as crianças sofrem?, o Senhor não me responde. Então apenas olho para o Crucifixo. Se Deus permitiu que Seu Filho sofresse assim por nós, deve haver algo ali que tenha um sentido. Na vida, há perguntas e situações que não podem ser explicadas”, concluiu.

http://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-as-criancas-seus-pequenos-gestos-podem-mudar-o-mundo-34194/

post

PROJETO AMOR AUTÊNTICO REALIZA A 2ª SEMANA DOS NAMORADOS ONLINE

 

Nos dias 12 a 16 de junho de 2017 acontecerá a SEMANA DOS NAMORADOS ONLINE. Trata-se de um evento totalmente online e gratuito, onde diariamente os inscritos terão acesso a ensinamentos sobre namoro, à luz dos valores cristãos católicos.  A SEMANA DOS NAMORADOS ONLINE é uma proposta ousada que aproveita toda a mobilização civil em torno do DIA DOS NAMORADOS (DIA 12) para inserir uma mensagem de esperança e encorajamento para os jovens católicos, apresentando a beleza do Amor Humano como reflexo do Amor de Deus. Para participar é bem simples, basta inscrever-se no link abaixo e serão enviadas por e-mail todas as informações de acesso e programação.

                Essa é mais uma iniciativa do PROJETO AMOR AUTÊNTICO, que é um apostolado católico que trabalha assuntos sobre afetividade e sexualidade à luz da Teologia do Corpo do Papa São João Paulo II, e atua fortemente através das redes sociais e eventos online. O Projeto é liderado por Fernando Gomes, que já foi membro da Coordenação da Pastoral Juvenil Nacional ligada à CNBB e do Ministério Jovem da RCC do Brasil. Fernando é membro da Comunidade Católica Presença, da Diocese de São João da Boa Vista, Estado de São Paulo, e dedica-se a difundir a Teologia do Corpo de São João Paulo II no Brasil e exterior.

“O Papa Francisco disse ao fim da Jornada Mundial da Juventude no Brasil que precisamos ser revolucionários, nadarmos contra a corrente e rebelarmos contra esta cultura do provisório que não acredita somos capazes de amar de verdade”.

                De acordo, com o idealizador da Semana dos Namorados, Fernando Gomes, “a iniciativa visa unir milhares de jovens pelo país para juntos levantarem a bandeira de que o amor autêntico existe e que o matrimônio não está fora de moda. Como a família é a base da sociedade e o fundamento da Civilização do Amor, o projeto enfatiza o namoro como uma fase muito importante na vida dos jovens, e que precisa ser vivido de forma saudável e responsável, para garantir uma maior estabilidade e solidez de um futuro casamento”, comenta.

As inscrições para a 2ª SEMANA DOS NAMORADOS ONLINE já estão abertas e podem ser feitas pelo link abaixo.

Mais informações e inscrições: https://goo.gl/t05sfU 

Participe e compartilhe essa iniciativa com os seus amigos.

Nós acreditamos no Amor Autêntico e você?

Texto enviado por:

Moisés G. Galan
Assessoria de Comunicação
Projeto Amor Autêntico
www.amorautentico.com.br 

post

01 de junho – Dia da Imprensa

 O Dia Nacional da Imprensa passou a ser comemorado oficialmente em 01 de junho por força da lei 9831/99 sancionada pelo governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso.

COBERTURA-1366-01-JUNHO-DIA-IMPRENSA.JPG

Primeiro número do jornal Gazeta do Rio de Janeiro

Primeiro número do jornal Gazeta do Rio de Janeiro

Até 1999 o Dia Nacional da Imprensa  era comemorado em 10 de setembro, data que começou a circular no país o primeiro jornal publicado em terras brasileiras, Gazeta do Rio de Janeiro, em 1808.

Publicado duas vezes na semana, o periódico era basicamente voltado para divulgação de comunicados do governo e informes sobre a política internacional .

O primeiro editor foi  o Frei Tibúrcio José da Rocha, e o primeiro redator foi Manuel Ferreira de Araújo Guimarães.

A partir de 29 de dezembro de 1821 passou a se denominar simplesmente Gazeta do Rio. e deixou de circular em dezembro de 1822.

 

Leia o primeiro número do jornal Gazeta do Rio de Janeiro

Conheça a Lei 9831/99, que estabelece, em todo o País, a data de 1º de junho de cada ano para as comemorações do Dia da Imprensa.

Primeiro número do jornal Gazeta do Rio de Janeiro

Access

https://www.bn.gov.br/es/node/536

Publicado en lunes, 1 de junio de 2015.